Quinta-feira, 8 de Maio de 2008

Combustíveis, petróleo e outros assuntos energéticos

"The use of solar energy has not been opened up because the oil industry does not own the sun."Ralph Nader

Honestamente se há coisa que não compreendo, é o mercado das energias, e não é por falta de vontade! Considero-o um mercado interessante, cheio de pormenores e idiossincrasias interessantes, e com uma importância crescente na economia global.
Mas há situações que efectivamente escapam-me! Vamos por partes: o preço galopante dessa mistela negra e colante que muitos de nós não daríamos grande uso se não a queimássemos para fazer andar os nossos veículos: o petróleo. Desde há uns anos que vemos o preço dos combustíveis a crescer cada vez mais. Eu sou dos que reparo nisso: meto sempre a mesma quantia no que toca a gasóleo e somente tenho visto a mesma quantia a ser colocado no depósito e o numero de litros a descer, numa espiral aparentemente interminável. Já quase não é uma novidade abrirmos a TV e abanarmos a cabeça de raiva com o novo record batido do preço do petróleo! “ O barril de petróleo bateu o record de 122 dólares por barril” e outras afirmações que parecem comparar o desempenho do “ouro negro” ao Obikwelu, ou outro concorrente ao ouro dos 100 metros em velocidade dos Jogos Olímpicos de Pequim.


Mas... se o petróleo está cotado em dólares, e o dólar também bate recordes de baixa em relação ao Euro, será que a situação está tão má como parece? Efectivamente o preço do petróleo real aumentou, sem duvida, mas não os 100% que se ouve falar por ai. Devido ao facto de o Euro estar a apreciar-se significativamente em relação ao dólar, nós estamos a pagar menos pelo petróleo do que, por exemplo, os americanos. E sim, nós também temos mais dificuldade em colocar os nossos produtos no mercado global, devido á força da nossa moeda, o que reduz as exportações. No entanto, o mercado único Europeu poderá ser bem capaz de uma maior auto-suficiência no que toca a retro alimentação dos seus mercados regionais do que muitos de nós pensamos.


Quais as razões para o aumento do preço do petróleo? Bem, para alem das eventuais crises de abastecimento ( que ocorrem bem mais vezes do que pensamos; eu sinceramente já estou a ficar farto de ver o abastecimento na Nigéria diminuir. Parece que há uma crise politica a cada dia que passa, e que essa crise inclui sempre uns tirinhos) e do aumento da procura da China, da Índia e de outras economias pujantes, a culpa é também dos EUA. Sim, porque esses queixam-se, mas continuam a ser os maiores responsáveis por consumo de petróleo do mundo e sempre a crescer. Mas uma das questões que a mim me confunde é o facto de  a Rússia ter ultrapassado a Arábia Saudita como maior produtor de petróleo e o Brasil ter talvez descoberto a maior reserva de petróleo dos últimos 30 anos na Bacia dos Santos. E nada pára a subida do petróleo.
Voltemos ao assunto do dólar: a sua queda acentuada também tem o seu impacto. Uma queda na cotação do dólar leva a que o petróleo suba, e vice-versa. È uma daquelas questões do tipo: “quem nasceu primeiro, a galinha ou o ovo”.


Em Portugal é ainda mais estranho: como se justifica que os combustíveis são mais baratos do outro lado da fronteira? Terão “nuestros hermanos” descoberto uma fonte de petróleo nas Canárias? Ou será que há ai uns malandros que mal chega petróleo a Portugal, roubam-no e vão vende-lo a Espanha, numa transferência manhosa, aumentando a oferta ali ao lado, e fazendo os preços subir aqui ao lado? Ou será que os larápios das gasolineiras fizeram um acordo de “cavalheiros” para concertar preços, numa clara aplicação do “dilema de prisioneiro”? Ou se calhar é mesmo combinado entre eles: “um gajo mantêm os preços assim, para todos ganharmos e se aparecer ai um palhaço qualquer com intenções de diminuir os preços, o tipo é limpo por nós!
Talvez esta acusação tenha sido um pouco forte demais, mas enfim, se até a Autoridade da Concorrência vem afirmar que há indícios de concertação e cartelização de preços na industria energética, há algo que está podre neste reino. Sim, porque esses tipos da Autoridade são mais tapados do que uma porta com um lençol opaco por cima, fechada num cofre! Isso é demais evidente!


Se existe alguém que ganha com esta subida desenfreada são os tipos que apostam nas chamadas Energias Renováveis. Admito que gosto dessa industria! É algo na qual eu gostaria de me meter, e as novas tecnologias foto voltaicas dão esperança para uma energia mais limpa, e sem esquecer as eólicas. Até meterem uns moinhos na minha zona! Deve ser interessante!
E já agora dou uma sugestão: no final do mês entra em Bolsa a EDP Renováveis. Visto como é um negocio em expansão, é bem capaz de ser uma aposta bem interessante!
 


publicado por Oraculo às 20:55
link do post | comentar | favorito
|

.Informações

.pesquisar

 

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. O problema de um free rid...

. A velha questão de onde g...

. Economices de uma saída á...

. Combustíveis, petróleo e ...

. Responsabilidade Social e...

. Mudanças na UALG

. Crise Imobiliária Parte I...

. Quem disse que tirar um c...

. A Crise Financeira no sec...

. Um pensamento disconexo

.arquivos

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

.tags

. todas as tags

.links

Blog Top Sites
Blog Directory
Locations of visitors to this page

.Khonya

.subscrever feeds